21 de fevereiro de 2014

DAVID YONGGI CHO CONDENADO NA COREIA: PASTOR NÃO É DONO DA IGREJA

David Yonggi Cho
      
por George Gonsalves

       Segundo informações noticiadas hoje em sites evangélicos, o pastor David Yonggi Cho, antes conhecido com Paul Yonggi Cho, foi condenado pela Justiça da Coreia do Sul por uma suposta fraude financeira à Igreja do Evangelho Pleno de Yoido, da qual é fundador e pastor emérito.
        
   Cho, que recentemente completou 78 anos de idade, se tornou mundialmente conhecido pelo ministério bem sucedido que realizou em Seul, capital da Coreia. Sua ideia de dividir a igreja em grupos menores, que ele chamou de grupos familiares, causou uma autêntica revolução evangelística na sua congregação. Em alguns anos ela se tornou uma das maiores igrejas do mundo, com cerca de 800.000 membros. Sua visão e seu trabalho foram narrados em dois livros: Grupos familiares e o crescimento da igreja (1982) e Muito mais que números (1985), ambos publicados no Brasil pela Editora Vida, e que se tornaram um enorme sucesso de vendas. Ele escreveu também um livro ruim, intitulado A quarta dimensão, onde desenvolve temas ligados à "teologia da prosperidade".

       Não posso fazer nenhuma avaliação sobre a culpa ou inocência do pastor Cho neste caso. As poucas informações que tenho não me permitem emitir nenhum juízo sobre ele, sob pena de ser leviano. Contudo, aproveito a notícia para refletir sobre um aspecto relativamente comum no meio evangélico brasileiro: a confusão entre o patrimônio da igreja e o do pastor que a dirige.

     Infelizmente, muitos líderes evangélicos tratam os bens materiais da igreja como se deles fossem donos. Trata-se de uma verdadeira chaga de nosso tempo. Não é de hoje que sabemos de pastores que gastam o dinheiro arrecadado pelos fieis em mansões, aviões e até cavalos! Tudo isso à revelia da vontade dos membros das igrejas.    

      Precisamos falar em alto e bom tom: nenhum pastor é dono dos bens da igreja. Se vive como se fosse, está usurpando algo que não lhe pertence. Inclusive, defendo que qualquer salário destinado a obreiros tenha seu valor criteriosamente decidido pela comunidade de crentes. O apóstolo Paulo, às vezes, recebia donativos das igrejas, mas não era ele que decidia o seu valor (Fp. 4:15-17). Um de seus objetivos era não ser pesado aos irmãos (At. 20:32-34; II-Cor. 12:14). 

       Devemos, portanto, combater os oportunistas de plantão, devoradores do rebanho, homens que pensam que a "piedade é fonte de lucro" (I-Tim. 6:5).    

        


15 de fevereiro de 2014

COMO ESCOLHEMOS?


                por George Gonsalves

Há alguns meses, um jovem foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Na delegacia, foi verificado que ele não tinha antecedentes criminais, possuía endereço fixo e trabalho remunerado. Foi perguntado, então, sobre o motivo da prática de tal delito. Ele respondeu: “É mais fácil e lucrativo”. Boa parte das pessoas tomam decisões baseadas nestes parâmetros.
Todos nós escolhemos muitas coisas todos os dias e, é claro, que fazemos muitas escolhas baseadas na “facilidade e lucratividade”. Existe até a “Lei do menor esforço”. Normalmente, não há nada de errado com este padrão de comportamento. Seria estranho procurarmos caminhos mais difíceis em nossa jornada e que nos trouxessem menos dividendos.
Ocorre que, muitas vezes somos chamados por Deus a fazermos escolhas baseadas em outros parâmetros. Para Ele, o fácil e lucrativo pode não ser o melhor. A Bíblia mostra alguns exemplos: um jovem escolheu sua riqueza e, assim, rejeitou seguir o Autor da vida. O filho pródigo escolheu antecipar sua herança e, assim, abandonou o pai que o amava.      
Alguns, todavia, fizeram a opção pela vontade de Deus e, apesar da dificuldade que enfrentaram, estavam certos de que fizeram a melhor escolha. O apóstolo Paulo renunciou seus privilégios de cidadão romano e judeu respeitado para sofrer o martírio por Cristo. Moisés renunciou um lugar no palácio real do Egito para sofrer com o povo de Deus no deserto. Nestes casos, escolher o “fácil e lucrativo” era pecaminoso.                
E quanto a nós? Quantas escolhas erradas fizemos porque preferimos a comodidade ao invés do serviço? O lucro ao invés da honestidade? Quantas vezes não ouvimos a voz de Deus, mas o próprio coração? Por isso, Tozer afirmou certa vez: “Entre a santidade e a felicidade, prefiro a santidade; terei muito tempo para ser feliz no céu”.

12 de fevereiro de 2014

JESUS EM NOVA PERSPECTIVA

JESUS EM NOVA PERSPECTIVA
AUTOR: JAMES D. G. DUNN
ED. PAULUS, SÃO PAULO- SP, 2013, 152p.




por George Gonsalves

Após o lançamento de uma importante obra sobre um apóstolo de Cristo: A nova perspectiva sobre Paulo, o teólogo James Dunn escreveu este pequeno, mas instigante livro sobre os estudos históricos sobre Jesus.
Para Dunn, os últimos estudos sobre Cristo erram em disassociar o "Jesus histórico" do "Cristo da fé". Ele afirma: "Um ponto de partida inevitável para qualquer busca de Jesus deve ser o fato histórico de que Jesus causou um impacto indelével nos seus discípulos. Podemos considerar a profunda impressão que Jesus produziu durante a sua missão como um dos a prioris históricos mais sólidos e incontestáveis" (p. 27). Ele defende que o estudo da transmissão oral é o caminho mais seguro para se chegar a uma correta perspectiva sobre Jesus.    
O livro acaba por servir de contraponto ao do historiador Reza Aslan que vem tendo um grande sucesso de vendas: Zelota – A vida e a época de Jesus de Nazaré. A obra é de difícil leitura para os não acostumados com a linguagem teológica/histórica, mas serve como excelente iniciação. 

7 de fevereiro de 2014

16º CONSCIÊNCIA CRISTÃ


Já estão abertas as inscrições gratuitas para o evento que é um dos maiores encontros evangélicos do país, acontecerá de 27 de fevereiro a 4 de março de 2014, em Campina Grande, Paraíba. As inscrições podem ser feitas no site do evento www.conscienciacrista.org.com.br

video

1 de fevereiro de 2014

PENSAMENTOS SOBRE A PREGAÇÃO

John Wesley (1703-1791) 
"Um mensageiro preparado é mais importante que uma mensagem bem preparada".
ROBERT MANGER

"Gostar de pregar é uma coisa, mas amar aqueles a quem pregamos é outra coisa".
RICHARD CECIL

"Sempre que prego, o faço como se estivesse fazendo pela última vez. É a mensagem de um moribundo para outro moribundo".
RICHARD BAXTER

"O pregador que está convencido do pecado e das falhas dos meus próprios sermões está pregando o evangelho".
RAM'S HORN

"Senhor, não são os livros , mas os homens que precisamos estudar. Quem prega deve ser, antes de tudo, pescador de homens, e não de livros, nem de ideias".
PATRICK HENRY

"Minha tarefa como pregador é flagelar os que vivem em conforto e confortar os aflitos".
RALPH W. SOCKMAN

"Pregadores não são fabricantes de sermões, mas construtores de vidas santas".
E. M. BOUNDS

"Um só sermão regado com a unção do Espírito vale mais do que milhares deles pregados com a energia meramente humana".
OSWALD SMITH

"Há sermões que são semelhantes a cartuchos de festim; são disparados ao ar apenas para fazer barulho".
CHARLES SPURGEON

"Antes de entregar a sua mensagem divina, o pregador deve aprender a ouvir. Ouvidos abertos precedem uma boca aberta".
A.B SIMPSON

"O discurso pertence metade ao orador e metade ao ouvinte".
MICHEL MONTAIGNE

"Um homem só prega bem um sermão a outros,quando ele prega para a sua própria alma... Se a Palavra não residir poderosamente em nós, não será poderosamente comunicada por nós".
JOHN OWEN 

"Não há sermão que sendo ouvido, não nos ponha mais perto do céu ou do inferno".
JOHN PRESTON

"Se nossas palavras não foram afiadas e não penetrarem como pregos, dificilmente serão sentidas por corações endurecidos".
RICHARD BAXTER

"O receber da Palavra consiste em duas partes: atenção da mente e intenção da vontade".
WILLIAM AMES

"A pregação da Palavra é aquela treliça pela qual Cristo olha e mostra-se a seus santos".
THOMAS WATSON

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...