21 de fevereiro de 2014

DAVID YONGGI CHO CONDENADO NA COREIA: PASTOR NÃO É DONO DA IGREJA

David Yonggi Cho
      
por George Gonsalves

       Segundo informações noticiadas hoje em sites evangélicos, o pastor David Yonggi Cho, antes conhecido com Paul Yonggi Cho, foi condenado pela Justiça da Coreia do Sul por uma suposta fraude financeira à Igreja do Evangelho Pleno de Yoido, da qual é fundador e pastor emérito.
        
   Cho, que recentemente completou 78 anos de idade, se tornou mundialmente conhecido pelo ministério bem sucedido que realizou em Seul, capital da Coreia. Sua ideia de dividir a igreja em grupos menores, que ele chamou de grupos familiares, causou uma autêntica revolução evangelística na sua congregação. Em alguns anos ela se tornou uma das maiores igrejas do mundo, com cerca de 800.000 membros. Sua visão e seu trabalho foram narrados em dois livros: Grupos familiares e o crescimento da igreja (1982) e Muito mais que números (1985), ambos publicados no Brasil pela Editora Vida, e que se tornaram um enorme sucesso de vendas. Ele escreveu também um livro ruim, intitulado A quarta dimensão, onde desenvolve temas ligados à "teologia da prosperidade".

       Não posso fazer nenhuma avaliação sobre a culpa ou inocência do pastor Cho neste caso. As poucas informações que tenho não me permitem emitir nenhum juízo sobre ele, sob pena de ser leviano. Contudo, aproveito a notícia para refletir sobre um aspecto relativamente comum no meio evangélico brasileiro: a confusão entre o patrimônio da igreja e o do pastor que a dirige.

     Infelizmente, muitos líderes evangélicos tratam os bens materiais da igreja como se deles fossem donos. Trata-se de uma verdadeira chaga de nosso tempo. Não é de hoje que sabemos de pastores que gastam o dinheiro arrecadado pelos fieis em mansões, aviões e até cavalos! Tudo isso à revelia da vontade dos membros das igrejas.    

      Precisamos falar em alto e bom tom: nenhum pastor é dono dos bens da igreja. Se vive como se fosse, está usurpando algo que não lhe pertence. Inclusive, defendo que qualquer salário destinado a obreiros tenha seu valor criteriosamente decidido pela comunidade de crentes. O apóstolo Paulo, às vezes, recebia donativos das igrejas, mas não era ele que decidia o seu valor (Fp. 4:15-17). Um de seus objetivos era não ser pesado aos irmãos (At. 20:32-34; II-Cor. 12:14). 

       Devemos, portanto, combater os oportunistas de plantão, devoradores do rebanho, homens que pensam que a "piedade é fonte de lucro" (I-Tim. 6:5).    

        


2 comentários:

Ouça a Palavra do Senhor disse...

Olá, querido irmão...A paz.

Sempre que notícias assim se espalham, infelizmente, muitos irmãos procuram divulgar tais notícias o mais rápido possível sem se preocupar com a veracidade das fontes (não estou defendendo o caso), mas apenas sendo criterioso, pois nesses países a perseguição contra o cristianismo é muito intensa, e por isso quando não querem levantar qualquer dúvida quanto a perseguição, e para legitimá-la, acusam os líderes de fraudes contra o erário das igrejas.

O que concluo é que há a necessidade de orarmos para que, caso seja mentira, O Juiz Supremo traga a luz para sua glória; caso seja verdade, oremos também para o pastor Cho busque perdão e arrependimento.

Grande abraço.

www.oucaapalavradosenhor.com

George Gonsalves disse...

Paz e graça, irmão. Em primeiro lugar, a notícia foi amplamente veiculada em sites que considero sérios. Depois, fiz questão de deixar claro que não faço juízo sobre o pastor Cho, pois não sei detalhes sobre o fato. Apenas aproveitei a notícia para comentar sobre algo que acho importante combatermos: os "donos" de igreja. Por fim, achei oportuno o final de seu comentário: O pastor Cho precisa de nossas orações para que seja consolado ou que seja levado ao arrependimento.

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...