27 de setembro de 2013

LOUVOR EM CRISE

LOUVOR EM CRISE
AUTOR: PETER MASTERS
ED. FIEL, SÃO JOSÉ DOS CAMPS- SP, 2013, 151p.


por George Gonsalves

       Peter Masters, pastor do Tabernáculo Metropolitano de Londres (igreja de Charles Spurgeon), desde 1970, revela neste livro sua preocupação com aquilo que ele chama de "música cristã contemporânea", que tem se afastado dos padrões bíblicos.
    Ele enumera três princípios bíblicos para o louvor que estão sendo desprezados: espiritual (ao invés de estético), racional (no lugar de extasiante) e sagrado (ao invés de profano). Também coloca alguns padrões para "hinos excelentes", dentre os quais: deve edificar o adorador, ser reverente e ter uma apresentação clara da doutrina.
        Bom livro sobre um tema importante para a igreja atual, que está infestada de música pobre e irreverente, além de “celebridades gospel”, que envergonham muitos cristãos.   

Frases do livro:

"A maneira como louvamos não é apenas uma questão de cultura, gosto ou geração, e sim de regras dadas por Deus" (p. 22).

"Emoções provocadas pelo uso de música sentimental ou apelativa pode ser uma atitude apreciável no nível puramente humano, mas não é louvor ao Senhor" (p. 25).

"O louvor não deve ser uma oportunidade para o exibicionismo humano" (p. 67).


"Muitos cristãos evangélicos têm remodelado a Deus, transformando-O em um ser apenas um pouco maior do que eles mesmos" (p. 121). 

23 de setembro de 2013

O ATEU QUE QUERIA SER PASTOR


por George Gonsalves

   Há alguns anos conheci um jovem (vou chamá-lo de Sérgio) que demonstrava temor a Deus. Gostava de ajudar as pessoas, era dedicado ao evangelismo e frequente às reuniões da igreja. Certo dia, enquanto fazíamos um trabalho evangelístico, ele disse-me que tinha vocação para o ministério pastoral. Fiquei feliz ao ouvir tal declaração de alguém que tinha cerca de quinze anos de idade.
   O tempo passou. O jovem se tornou adulto e começou a frequentar um curso universitário. Era o orgulho de seus pais. Contudo, notei que seu fervor começou a declinar. A maior prova de seu esfriamento espiritual era sua apatia ante os problemas dos outros. Passou a viver uma vida descompromissada e vazia. Suas prioridades e amigos mudaram. Passou também a dar desculpas esfarrapadas para não se envolver em atividades de aconselhamento ou evangelísticas.   
   Chamei, então, seu pai (que era cristão) para conversar. Disse-lhe como estava percebendo o seu filho. Ele parecia tão encantado com o desempenho intelectual do seu rebento que pareceu não levar muito a sério minhas palavras. Conversei também com Sérgio. Tentei mostrar-lhe que estava em decadência espiritual e que estava muito fascinado com o seu mundo atual. Ele parecia distante. Minha surpresa maior se deu quando lembrei-o do seu antigo desejo de ser pastor. Ele, simplesmente, disse que não se lembrava disso.
   Mais tempo passou e acabamos por nos separar. Ele foi para outra cidade, prosseguiu nos estudos e chegou a fazer mestrado. Recentemente, soube que ele agora se declara ateu. Apesar da tristeza que senti, não cheguei a ficar surpreso.
    A vida espiritual inclina nossos pensamentos para um lado ou outro. Antes da descrença, ocorre um afastamento de Deus. O esfriamento do coração precede ao da mente. O filósofo Blaise Pascal afirmou: "Quase que invariavelmente as pessoas formam suas crenças não baseadas nas provas, mas naquilo que elas acham atraente". Crer no Deus cristão leva o homem a determinadas responsabilidades. Jesus mesmo nunca omitiu dos seus possíveis seguidores o compromisso que requeria deles: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me (Mt. 17:24). Se alguém não estiver disposto a pagar o preço, talvez possa começar a pensar que ele nem mesmo exista. Este comportamento foi expresso de forma brilhante pelo escrito francês Paul Bourget (1852-1935): “É preciso viver como se pensa, caso contrário se acabará por pensar como se tem vivido”.
   Não estou advogando aqui que não haja argumentos intelectuais para o ateísmo. Ocorre que muitas vezes esta opção está ligada a um anseio de liberdade e independência. O ateu se sente livre das amarras de um Deus soberano e juiz dos seus atos. Na verdade, nenhum homem é plenamente livre. Somos escravos de Deus, dos homens ou de nossas próprias e toscas ambições. O crente não sente nenhum constrangimento em chamar a Deus de seu Senhor. Gênios do porte de Isaac Newton, Faraday, Bach, John Milton e Francis Collins comprovam que a fé não tolhe a capacidade criativa do homem.
   A verdade é que confiamos em quem amamos. Quanto mais estivermos em comunhão com Jesus mais confiaremos nas suas palavras. Talvez ninguém tenha dito isto de forma mais enfática do que Dostoiévski. Escrevendo a um amigo, ele disse: “Amo tanto a Cristo, que se me provarem que Cristo está contra a verdade, fico com Cristo”.  

19 de setembro de 2013

NÃO NOS CANSEMOS DE FAZER O BEM


"E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos" (Gálatas 6:9).


18 de setembro de 2013

CITAÇÕES SOBRE MILAGRES



"Deus nunca fez um milagre para convencer um ateu".
ARIEL ROTH

"Todo milagre, longe de negar o que já sabemos sobre a realidade é uma nota explicativa que dá clareza a esse texto obscuro; ou melhor, ele se revela como sendo o texto em que a natureza não passa de uma simples nota. Na ciência, tudo o que fazemos é ler os versos de um poema; no cristianismo, deparamo-nos com o poema todo ".
C. S. LEWIS

"Ó Deus, faz um grande milagre: dimunui a ignorância dos homens...".
ISABEL FUENTES DEL VALLE

"Os homens pedem, sem fé, muitos milagres, quando bastaria pedir um só, mas com fé, para converter a terra num paraíso: que Deus os tornasse sábios".
CRISTINA G. VILLAMARÍN

"Por que os seres humanos insistem em esperar milagres, sem antes fazer honestamente, o necessário para merecê-los?".
JEAN-PAUL M. XAND

"Um milagre significa apenas a liberdade de Deus".
CHESTERTON

"Se um homem consegue acreditar em milagres, ele certamente é muito mais liberal: porque os milagres significam, primeiro, a liberdade da alma e, segundo, o controle dela sobre a tirania das circunstâncias".
CHESTERTON

"Se já passou a época de milagres, não haveria mais renascimento, pois o novo nascimento é o maior milagre do mundo".
T. L. OSBORN

"Sei que Deus faz milagres, mas não os faz de sobra. Isso nos faria preguiçosos".
STANLEY JONES

"Para ser realista, é preciso acreditar em milagres".
DAVID BEN-GURION

"Nunca houve um milagre, por mais evidente que fosse, sobre o qual Satanás não tentasse lançar uma névoa".
JOÃO CALVINO

"Deus não joga milagres sobre a natureza de forma aleatória, como se usasse um saleiro ou frasco de pimenta. Eles surgem em ocasiões especiais; não da história política ou social, mas da espiritual, que não pode ser totalmente conhecida pelos homens".
C. S. LEWIS


16 de setembro de 2013

DEUS SEMPRE NOS LIVRA DO SOFRIMENTO?


Ressurreição de Lázaro

                                                                                                                                            por George Gonsalves

Quando recebeu a notícia de que seu amigo Lázaro estava gravemente enfermo Jesus, surpreendentemente, ainda se demorou a ir ao local onde ele estava. Quando chegou a Betânia, Lázaro já havia morrido há quatro dias.
     Ficou uma lição para nós: Deus não nos poupa de sofrimentos. Lázaro passou pela dor da enfermidade e suas irmãs, Marta e Maria, ficaram sem o amparo da presença física de Jesus em momentos dramáticos. O amor de Cristo não é piegas ou superprotetor. Os que querem proteger demasiadamente seus filhos os tornam egoístas, frágeis e inseguros. Na introdução do excelente livro O sorriso escondido de Deus, John Piper escreveu: "Grande dor acompanha grandes privilégios espirituais".  
Quais sofrimentos Deus vai me livrar? A questão se resolve pela sentença de Jesus sobre a doença de Lázaro: "Esta enfermidade não é para morte, e sim para glória de Deus" (Jo 11:4). Há dores que não se transformam em bençãos, mas há outras que redundam em glórias a Deus. O pranto de Ana trouxe o profeta Samuel ao mundo; o martírio de Estevão expandiu a igreja primitiva; a prisão de John Bunyan resultou em uma das maiores obras literárias cristãs: O peregrino; o sofrimento psíquico de William Cowper o inspirou a alguns dos mais belos poemas escritos por um cristão. Como diz o hino 126 da Harpa Cristã: "os mais belos hinos e poesias foram escritos em tribulação".
Muitos estão sendo atraídos pela falsa mensagem de que Deus livrará de sofrimento os seus servos. Há comunidades que exibem frases em seus templos como: "Pare de sofrer!". Alguns estão revoltados contra Deus porque estão passando por situações difíceis e que julgam injustas. Como a mulher de Jó, não abandonaram a fé no amor de Deus (Jó 2:9). 
No entanto, devemos confiar que Deus nos ama, apesar do denso vale que estejamos a atravessar. Assim expressou Cowper de maneira brilhante:

"Não julgue o Senhor com débil entendimento,
Mas confie nele para sua graça.
Por trás de uma providência carrancuda,
Ele oculta uma face sorridente.

Seus propósitos amadurecerão rapidamente,
Desvendando-se a cada hora;
O botão pode ter um gosto amargo,
Mas a flor será doce."
 
 

12 de setembro de 2013

JUSTIÇA GENEROSA

JUSTIÇA GENEROSA - A graça de Deus e a justiça social
AUTOR: TIMOTHY KELLER

ED. VIDA NOVA, SP, 2013, 205p.


                                                                                                              por George Gonsalves

     O que significa justiça na Bíblia? Qual o papel do cristão em relação aos problemas econômicos e sociais do mundo em que vive? O crente pode ou deve fazer algo para minorar a pobreza de outras pessoas? A igreja deve se preocupar em ajudar apenas os pobres que são cristãos?  O papel da igreja é apenas pregar o evangelho?
      Timothy Keller, considerado por alguns como o "Tozer do século XXI", procura responder estas e outras perguntas no instigante livro Justiça generosa. Para ele, a igreja hodierna tem em sua maioria ignorado o chamamento explícito das Sagradas Escrituras para que os servos de Deus atuem de forma ativa na promoção de um mundo mais justo, ajudando os pobres e excluídos da sociedade.
    O autor fundamenta suas respostas em inúmeras passagens da Bíblia, passando pela lei mosaica, os profetas vetero-testamentários, os ensinos de Jesus e pelas epístolas do Novo Testamento.
       Excelente texto, especialmente para o momento vivido no Brasil, em que uma considerável parcela da população tem protestado nas ruas contra inúmeras mazelas sociais. Está mais do que na hora dos cristãos enfrentarem de forma bíblica (não determinado por ideologias classistas ou partidárias) as questões colocadas por Keller.

2 de setembro de 2013

30 RAZÕES PARA ORAR PELO BRASIL




O povo brasileiro foi às ruas para reivindicar melhorias na saúde, educação, habitação e transporte coletivo, além de protestar contra a corrupção e várias mazelas sociais. O que deve fazer a igreja?

A pergunta é importante; as respostas são variadas. Mas, não há dúvida de um caminho a tomar: ORAÇÃO.   

Deste modo, a Editora Mundo Cristão decidiu promover uma campanha de oração pelo Brasil, que terá início no dia 7 de Setembro (Dia da Independência do Brasil) e término no dia 6 de Outubro de 2013. Foram escolhidos trinta temas pelos quais o cristão deve orar diariamente, tais como, justiça, melhor administração dos recursos públicos, melhorias na saúde, educação, fim da impunidade, entre outros. Este material foi organizado no formato de um livreto, chamado É tempo de orar, cujo objetivo é alcançar o maior número de pessoas com o desejo de se engajar e interceder na luta por um País melhor. 

Além do livreto impresso, a Editora Mundo Cristão disponibiliza o e-book gratuito com as trinta razões para orar pelo Brasil que já pode ser encontrado nas principais lojas virtuais:




Sinopse do livro

O Brasil é um país repleto de belezas naturais, um povo alegre e hospitaleiro, entretanto com muitos problemas sociais. Saúde e educação de baixa qualidade para a maioria da população, desemprego, criminalidade e corrupção crescentes são alguns indícios de que muita coisa precisa melhorar.

A população tem ido às ruas protestar e lutar legitimamente por mudanças. Mas não é com gritos e palavras de ordem que a verdadeira transformação vai ocorrer, e sim com olhos fechados e joelhos no chão.Temos várias razões para agradecer pelo país maravilhoso que o Senhor nos deu e também muitos pedidos. Levante sua voz em oração por saúde e educação melhores, por justiça, por nossos governantes, por liberdade de expressão, pelo fim da violência e da criminalidade, por nossa legislação, pela Igreja brasileira. Deus pode e quer operar mudanças no Brasil. Tenha fé. O gigante acordou e começou a orar.

Fonte: Mundo Cristão

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...