31 de janeiro de 2013

QUANDO DEUS FOI À BOATE


  
   Há uma pergunta recorrente em uma tragédia: “Onde Deus estava quando tudo ocorreu?”. Seja no holocausto judeu, nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, ou no incêndio que vitimou mais de duzentos jovens em Santa Maria (RS), a pergunta não quer calar no coração de alguns.
   Soube que alguém usou fotos de corpos que ficaram estirados dentro da boate Kiss, em Santa Maria, para “provar” que Deus não existe. Afinal, se ele existisse, onde estaria no dia da tragédia? Porque não evitou a morte sofrida de tantos jovens?

  Na verdade, o argumento é frágil, pois parte de várias premissas completamente equivocadas. Uma delas é a de que Deus deveria, a qualquer custo, evitar o sofrimento humano. Na teologia cristã, Deus não somente permite o sofrimento dos justos (Jó e o apóstolo Paulo são exemplos clássicos), mas se encarnou para vivenciar todas as dores e temores sentidos pelos homens e, por fim, a própria morte. Ele não nos promete livrar da dor, mas estar conosco nela.

   A Bíblia também nos ensina que Deus, além de onipresente, tem o controle de tudo o que acontece no mundo. Assim sendo, posso afirmar: Deus estava na boate Kiss no dia da tragédia. Sim, não há lugar no Universo em que não esteja (Sl. 139: 7-10). Mais ainda, podemos ver (se a fé nos abrir os olhos) que a mão do Senhor operou naquele lugar e em vários outros espalhados por Santa Maria nos dias subsequentes.

   Se havia mais de mil pessoas naquela boate, então vejo a força de Deus empurrando centenas de jovens para fora daquele lugar, dando-lhes oportunidade de seguirem seu caminho, percebendo a efemeridade e preciosidade de suas vidas.

    Vejo o mover de Deus na vida de jovens que corajosamente enfrentaram a fumaça tóxica para salvar amigos que estavam dentro da boate. Um deles salvou cerca de catorze pessoas e acabou morrendo depois. Na sua epístola, João escreve: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (3:16).

   Vejo a compaixão de Deus na vida de centenas de voluntários que cederam seu tempo, dinheiro e trabalho para minorar o sofrimento alheio. Uns fizeram lanches para os familiares e amigos, que desolados velavam seus mortos. Outros cederam quartos em suas casas para abrigar os que vinham de outras cidades. Alguns, ainda, “choraram com os que choram” (Rm. 12:15) e milhares oraram para que o consolo divino acalentasse os corações feridos.   

  Meus olhos e minha fé não alcançam todas as nuances da providência divina. Também há perguntas que não tenho como responder. Mas, ainda assim, podemos confiar no amor e sabedoria divina, como descreveu o poeta William Cowper:


“Não julgue o Senhor com débil entendimento,

Mas confie nele para sua graça.

Por trás de uma providência carrancuda,

Ele oculta uma face sorridente.


Seus propósitos amadurecerão rapidamente,

Desvendando-se a cada hora;

O botão pode ter um gosto amargo,

Mas a flor será doce.


A incredulidade cega certamente errará

E esquadrinha sua obra em vão:

Deus é seu próprio intérprete

E Ele o tornará claro”.

                              George Gonsalves

28 de janeiro de 2013

É TEMPO DE CHORAR



No início da minha fé, vi um pastor comentar com desdém sobre um crente que havia chorado “demasiadamente” no velório do próprio pai. Segundo ele, foi um “mau testemunho” para os não convertidos.
Interessante é notar que a Bíblia relata que Jesus chorou, mas não que tenha sorrido (embora isto possa ter ocorrido). No entanto, as lágrimas de Cristo evidenciaram de maneira categórica o quanto ele se importava com o próximo. Ele não somente viveu entre nós, mas sentiu a nossa dor.
O fato mais emblemático talvez tenha sido quando Cristo chega em uma casa tomada pelo luto. Maria, que um dia esteve aos pés do Mestre, ficou sentada em casa, desolada. Marta vai ao seu encontro, aparentemente inconformada: “se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão“ (João 11:21). Minha mente não consegue alcançar a profundidade deste momento. Jesus, o Verbo de Deus, aquele que tinha toda autoridade nos céus e na terra, chorou (João 11:35). Ele não sabia que ressuscitaria Lázaro? Ele não tinha domínio sobre a situação, inclusive sobre suas emoções? Jesus chorou, não de desespero, mas de empatia, de amor. Tendo se feito carne, o Filho de Deus assumiu a maneira mais humana de “sentir com”. Era tempo de chorar.
Muitas vezes, os crentes querem sempre dizer algo sobre tudo. Mas, há o tempo de calar e o tempo de chorar. E não será esta hora? Em Santa Maria (RS), centenas de pais não mais poderão beijar os rostos de seus filhos. Alguns eram filhos únicos (mas qual filho não é?). Avós não contarão mais com orgulho sobre os feitos de seus netos. Moças não esperarão mais ansiosas a vinda de seu amor. Rapazes não farão mais planos para suas futuras famílias. Se a Bíblia nos fala que há um tempo para chorar (Eclesiastes 3:1 e 4), que outro momento haveria?
George Gonsalves


  

26 de janeiro de 2013

FRASES SOBRE JESUS CRISTO



“Amo tanto a Cristo que, se me provarem que Verdade não está em Cristo, prefiro ficar com Cristo.”
DOSTOIÉVSKI
“Deus forma o homem; o pecado o deforma; a escola o informa; mas somente Cristo o transforma.”
WALTER B. KNIGTH
“Cristo é o meio, a vida, e o espelho pelo qual vemos Deus e conhecemos sua vontade.”
MARTINHO LUTERO 
“Cristo não será exaltado, a menos que ele o seja acima de tudo.”
AGOSTINHO
“Jesus foi o mais puro entre os poderosos e o mais poderoso entre os mais puros.”

JEAN RITCHER
“As ideias de Jesus não são o fator mais revolucionário da História, mas, sim, ele mesmo.”
JOHN MACKAY
“Cristianismo é Cristo, e Cristo é a revelação final e absoluta de Deus.”
STANLEY JONES
“Cristo não foi um homem que ousou ser Deus, mas Deus que se dignou ser homem.”
JOHN A. W. HAAS
“Quaisquer que sejam as surpresas da história, Jesus nunca será excedido.”
ERNEST RENAN
“Jesus não precisa de advogados. Ele precisa de testemunhas.”
J. STEWART HOLDEN
“Por um carpinteiro a humanidade foi formada e somente por esse carpinteiro ela será transformada.”
ERASMO
“Se a vida e a morte de Sócrates foram as de um sábio, a vida e a morte de Cristo foram as de um Deus.”
JEAN J. ROSSEAU
“Jesus viveu perfeitamente tudo aquilo que perfeitamente ensinou.”
HERMAN H. HORNE

21 de janeiro de 2013

NO PODER DO ESPÍRITO


NO PODER DO ESPÍRITO
AUTORES: WILLIAM W. MENZIES & ROBERT P. MENZIES
ED. VIDA, 2002, 270p.


    Há muita ignorância no meio evangélico sobre a teologia pentecostal clássica. Muito disso talvez se dê por causa da emergência do movimento neo-pentecostal, que trouxe graves prejuízos à igreja brasileira. Contudo, o pentecostalismo tem um labor teológico importante. Donald Gee, Myer Pearlman e Donald Stamps, por exemplo, são alguns dos expoentes importantes de uma fase mais antiga do movimento pentecostal. J. Rodman Williams, Stanley Horton, William Menzies e Robert Menzies, por sua vez, são teólogos pentecostais mais recentes, contudo ainda comprometidos com os fundamentos sólidos da teologia cristã.
    Nesta obra, William (falecido em 2011) e Robert Menzies (doutor pela Aberdeen University) procuram demonstrar em que bases teológicas se assentam o movimento pentecostal, procurando responder a argumentos contrários à sua exposição. Aliás, o subtítulo do livro indica sua intenção: “fundamentos da experiência pentecostal – um chamado ao diálogo”. Na primeira parte, intitulada “Fundamentos teológicos”, os autores discutem hermenêutica e exegese com teólogos não pentecostais como James Dunn e Gordon Fee. Há também um excelente resumo sobre a história do pentecostalismo moderno, incluindo considerações sobre o movimento Holiness e as conferências de Keswick.
     Na segunda parte (Declarações teológicas), há a discussão de temas caros ao pentecostalismo clássico como: línguas como evidência, cura na expiação e dons espirituais.
     Livro bem escrito. Muito útil para pentecostais e não pentecostais.
George Gonsalves

17 de janeiro de 2013

POESIA FAZ BEM


       

      
      Quem disse que ler Quintana, Rilke, ou Drummond é inútil? Em um mundo pragmático em que se pergunta: “Para que serve a filosofia, ou a poesia?”, a Universidade de Liverpool, na Inglaterra, trouxe um dado científico. Segundo um estudo publicado no último dia 15, a leitura de textos poéticos estimula mais o cérebro que a de livros de autoajuda, por exemplo.
     Segundo notícia publicada na Folha de São Paulo (15/01/2013), os resultados apontaram que a atividade cerebral “dispara” quando o leitor encontra palavras incomuns ou frases com uma estrutura semântica complexa, mas não reage quando esse mesmo conteúdo se expressa com fórmulas de uso cotidano. Foram utilizados no estudo textos de poetas como John Donne e Philip Larkin. Ou seja, é mais útil ler um poema de Cecília Meireles que ficar horas lendo revistas de fofoca ou postagens bobas no facebook.   
     Contudo, devemos ficar atentos a uma questão: E se a pesquisa mostrasse o contrário? E se amanhã outra universidade apresentar um resultado inverso? Será que sempre estaremos em busca daquilo que “dá certo” (normalmente relacionado a aspectos financeiros), em detrimento daquilo que é belo e bom?
      Quem ama a poesia não está preocupado em saber se ela “dispara” alguma parte do cérebro. Quem lê textos poéticos pensando em melhorar a sua atividade cerebral corre o risco de perder o melhor da festa. Poesia é abrir fresta em uma fortaleza, é ser surpreendido pelo sublime, se deixar enlaçar pela trama de belas letras, viajar por lugares altos sem sair do chão, aprender de um modo mais profundo e tocante.
       A poesia não nos aliena do mundo, mas nos faz transcedê-lo. Alguns anos atrás, aprendi que os poetas antecederam os filósofos na tarefa de explicar o mundo. O próprio apóstolo Paulo citou um poeta grego ao anunciar o evangelho na culta e cosmopolita Atenas. As Escrituras judaico-cristãs estão repletas de textos poéticos. São salmos, provérbios e cânticos que procuram, não somente nos comunicar a Verdade, mas nos fazer apreciá-la, amá-la e vivê-la. Deus é o maior poeta.      
       Multipliquem-se, pois, os estudos sobre a poesia. Descubram-se seus benefícios cerebrais. Nada disso a tornará melhor do que já é, pois como afirmou o poeta francês Jean Cocteau: “Tenho certeza de que a poesia é indispensável, mas não me perguntem por quê”.
George Gonsalves 

14 de janeiro de 2013

DE QUEM O CRISTÃO DEVE SE GUARDAR



     por George Gonsalves  

   Certa vez perguntaram a mulher centenária o que ela fazia para manter-se com uma boa saúde, apesar da idade avançada. É simples, ela respondeu: “Fico longe de quem me faz mal”.
    Deus nos ordena a amar o próximo. Assim, todos devem ser alvos do nosso amor. O apóstolo Paulo ratificou em uma epístola: “enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos” (Gl. 6:10). Contudo, precisamos também nos guardar do mal. A companhia de determinadas pessoas podem corroer nossa alma.
    Portanto, nos guardemos:
  - Dos que se auto-intitulam “ungidos de Deus” e, assim, oprimem o povo que está sob sua liderança (os verdadeiros ungidos não se colocam acima dos demais);
   - Dos “sabichões” que pensam conhecer toda a verdade de Deus (ninguém é tão conhecedor de Deus, a ponto de não poder errar em muitas coisas);
  - Dos bajuladores de plantão (precisamos de alguém com um olhar crítico por perto);
   - Dos céticos, que não creem nos milagres (Deus está vivo e operante!);
  - Dos falastrões, que testemunham não do que Deus operou, mas do que eles fizeram (Deus não dá sua glória a outrem);
  - Dos intelectuais frios, que querem enquadrar Deus nos limites da razão humana (“Deus tonou louca a sabedoria do mundo”) (I-Cor. 1:20);
  - Dos legalistas, que pregam um evangelho mórbido, triste e escravizador (foi para a liberdade que Deus nos chamou);
 - Dos libertinos, que, sob pretexto de serem livres no Senhor, querem transformar a graça de Deus em algo vulgar (“Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo nenhum!”) (Rm. 6:15);
  - Dos denominacionalistas, que afirmam que suas igrejas são as melhores do reino de Deus (Só Deus, o Justo Juiz, pode julgar corretamente nossos credos, ações e intenções).


11 de janeiro de 2013

DISCIPLINA CRISTÃ


Uma vida de disciplina requer de nós não apenas um pensamento solto, vago sobre alguma coisa, mas uma reflexão. Reflexão é uma análise do pensamento, uma crítica sobre o que foi pensado. É fazer perguntas necessárias: Eu posso fazer? Eu devo fazer? Eu quero fazer?
Disciplina é necessária para todos os que desejam viver sóbria e piamente. No entanto, não é algo fácil porque requer atitude, abnegação, esforço, renúncia, compromisso, dedicação, sinceridade. Por exemplo, ninguém que está vivendo uma vida negligente, preguiçosa, descompromissada, passa a ser uma referência de cristão sem um desejo real e sacrifício.
Baseado nessas afirmações gostaria de destacar alguns erros que não precisamos cometer e algumas reflexões que nos ajudará nessa tarefa:
1 – “Não deu tempo!”
 Será isso uma verdade, ou foi você que não colocou o compromisso como prioridade?
2 – “Esqueci-me de fazer!”
Não é aconselhável confiar na memória. Nossos compromissos e planos devem ser anotados em uma agenda.
3 – “Cheguei atrasado por causa do trânsito ou porque o ônibus demorou”.
Não seria melhor sair mais cedo? Precisamos ser pontuais porque alguns “imprevistos” são previsíveis!
4 – “Não te avisei de minha ausência porque não foi possível”.
Uma ligação resolve o problema da comunicação.
Para concluir, a leitura da Palavra diariamente (ninguém pode viver uma vida plena sem conhecer a vontade do Senhor), uma vida de oração (a oração revela o desejo de estarmos com  Ele e adorá-lo) e a frequência assídua às reuniões da igreja (o desejo de estar juntos nos assemelha a Jesus e revela nosso desejo de serviço e submissão), são elementos indispensáveis para nosso crescimento espiritual.
 Procuremos, pois, viver justa e piamente no meio de uma geração corrompida!
Roberto Pereira

9 de janeiro de 2013

PENA DE MORTE: SIM OU NÃO?



5 MOTIVOS PARA NÃO ACEITAR A PENA DE MORTE:

1 – Transforma os homens no mal que querem acabar;
2 – Substitui justiça, uma virtude importante, pela vingança, um corrosivo da alma: “Olho por olho e o mundo ficará cego” (Gandhi) "A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor" (Rm. 12:19);
2 – Coloca homens na posição em que só Deus se encontra, pois Ele é o Autor da Vida e o Supremo Juiz;
4 – Se o Sistema Judiciário estiver nas mãos de injustos, homens virtuosos  poderão se transformar em vítimas, como:
Jesus Cristo: crucificado por volta do ano 29 d.C, em Jerusalém.
John Huss: queimado vivo em 06.07.1415, em Constança, Boêmia, atual República Tcheca.
Tiradentes: enforcado em 21.04.1792, em Vila Rica, atual Ouro Preto-MG;
5 – Ignora a lição de Cristo. Quando pediram que opinasse sobre uma sentença de morte contra uma adúltera, Ele disse: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire a pedra” (João 8:7).  

pintura retrata cena do capítulo 8 do Evangelho de João
George Gonsalves







6 de janeiro de 2013

15ª CONSCIÊNCIA CRISTÃ


     Em Campina Grande-PB será realizada, entre os dias 6 a 15 de fevereiro de 2013, a 15ª edição do Consciência Cristã, um dos maiores eventos evangélicos do Brasil.

     Alguns preletores serão:   

  • PR. HERNANDES DIAS LOPES – IPB/ES
    Hernandes Dias Lopes tem participado do Encontro para a Consciência Cristã desde 2004. Autor de mais de 70 obras, ele busca através de seu ministério, levar a igreja a se tornar mais autêntica, piedosa, fiel a Deus e comprometida.


  • PR. MAURO MEISTER - IPB/SP
    Mauro Meister é Professor de Antigo Testamento e Coordenador do programa de Mestrado em Divindade (MDiv.) da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo.


  • PR. FRANKLIN FERREIRA - VIDA NOVA/SP
    Franklin Ferreira é Bacharel em Teologia pela Escola Superior de Teologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e Mestre em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil.



  • PR. RENATO VARGENS – ICA/RJ
    Renato Vargens é pastor presidente da Igreja Cristã da Aliança em Niterói - RJ, além de conferencista e escritor com dez livros publicados, a exemplo dos títulos: Muito mais que louvor; Sim, é Possível; Quando o Milagre Acontece.



  • PR. PAULO CEZAR - GRUPO LOGOS/SP
    Formado pastor pelo seminário Palavra da Vida, Paulo Cezar é cantor e compositor, tendo até aqui 78 músicas gravadas pelo Grupo LOGOS, sendo ainda produtor de todas as gravações já feitas.



  • PR. GEREMIAS COUTO - AD/ RJ
    Geremias Couto ministrará em uma das noites do Encontro para a Consciência Cristã, e também no 5º Seminário sobre a Realidade da Igreja Evangélica Brasileira.

  • DR. RAVI ZACHARIAS - RZIM/EUA
    O Dr. Ravi é filósofo, teólogo, apologeta, e autor de inúmeras obras, tais como: ‘Pode o homem viver sem Deus?’ (Can Man Live Without God?) e ‘Por que Jesus é diferente?’ (Jesus among other gods?)



    Também será realizado no evento o Encontro Nacional de Blogueiros Evangélicos, o NBLOGUE. 


5 de janeiro de 2013

ENCARNAÇÃO: BELO LIVRO DE ALISTER MCGRATH


ENCARNAÇÃO
AUTOR: ALISTER McGRATH
HAGNOS, 2012, 109p.


     Segundo livro da série A verdade e o imaginário cristão (ou outros são Criação, Redenção, Ressurreição e A visão cristã de Deus). Destes, apenas os três primeiros foram publicados no Brasil.
     Os capítulos tratam de facetas importantes da encarnação de Jesus: O cumprimento da profecia, O nascimento do Salvador, O chamado dos discípulos, O mestre com autoridade, O amigo dos pecadores, O caminho, a verdade e a vida, A encarnação: Deus conosco. 
O livro é escrito de forma concisa por McGrath, professor de teologia histórica na Universidade de Oxford, sobre um tema fundamental da teologia cristã. Mas, o diferencial da obra está na combinação de texto e imagens. O texto de Alister McGrath é enriquecido por poemas e belas pinturas de autores como Van Gogh.
       A obra é bela e, apesar de breve, teologicamente rica.
George Gonsalves

2 de janeiro de 2013

DOE VIDA!


Um novo ano começou
Ele ainda está intacto!
Só depende de nós como vivê-lo.

Acredito que algumas mudanças são necessárias
para fazermos deste ano um ano melhor do que o que passou.
O apóstolo Paulo lembrou as palavras de Jesus:
“Mais bem-aventurado é dar do que receber”
Que tal sairmos dos discursos e partirmos para a prática?

Algumas pessoas precisam perdoar,
esquecer a ofensa recebida.
Quantos corações aflitos só precisam
de uma palavra de consolo, tempo, atenção, carinho e, muitas
vezes, um sorriso já basta!
Muitas crianças estão, neste exato momento,
em um leito de hospital ou em um abrigo, carentes de uma visita.
Podemos dedicar uma parte de nosso tempo a elas.

Muitos estão precisando de sangue.
Você pode ser um doador!
Alguns idosos foram esquecidos pela família em asilos
Nós não precisamos esquecê-los também.
Irmãos e irmãs estão padecendo perseguição em muitos países no mundo todo
Podemos ajudar indo ao campo missionário, financeiramente, com oração
e, até mesmo, escrevendo a eles.
Se você não pode "descer ao poço", você pode ajudar a segurar a "corda".

Doe seu tempo, sua atenção, sua força, seu dinheiro, seu serviço.                                                                                            
                                                                                                                                                       Feliz 2013!
Roberto Pereira

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...