28 de abril de 2012

UM ANO SEM DAVID WILKERSON

          No dia 27 de abril do ano passado morreu um homem do qual este mundo não era digno (Heb. 11:38): David Wilkerson. Ele era pastor, evangelista, escritor e um autêntico profeta dos dias modernos. Cito abaixo algumas frases extraídas de seu livro David Wilkerson exorta a igreja, publicado pela Ed. Vida:

"Através da escola do sofrimento, Deus está treinando simpatizantes que foram provados no fogo e se comprovaram fiéis a ele".

"Onde estão os cristãos que levarão a sério a sua Palavra, que chorarão, jejuarão e o buscarão, até que haja uma promessa de sua presença?".

"Não somos infalíveis, nem toda palavra que ouvimos vem de Deus!".

"Você pode tornar-se tão ocupado, tão atolado com problemas e cuidados, que de nada lhe adiantaria ouvir a voz de Deus".

"A verdade liberta mesmo. Liberta da pregação morta, liberta de pastores mortos, liberta da tradição morta, liberta de doutrinas de demônios. Liberta de companheirismos que rejeitam a verdade porque ela é por demais 'desamorosa', conforme dizem".

"Estou convencido de que o único meio de experimentar a plenitude da alegria do Senhor Deus é participar de seu pesar".

"É surpreendente como os cristãos hoje pensam que podem escolher quais os mandamentos de Cristo que irão obedecer!".
   
          Veja vídeo com a história e a última pregação de David Wilkerson:


22 de abril de 2012

MANUEL FOI PRO CÉU

     

    Na década de 90 Ed Mota cantava um hit cujo refrão grudou nas cabeças da minha geração: "Manuel foi pro céu". Nestes dias me lembrei desta música por causa de uma dolorosa perda: Manuel Firmino, amado irmão em Cristo, que partiu desta vida.
   Encontrei nele virtudes reunidas que, infelizmente, não vi muito na igreja em mais de duas décadas: prestatividade, fervor, cuidado com o próximo, paixão evangelística e um vigor capaz de envergonhar tantos jovens letárgicos que encontramos por aí.
    Manuel rompia com o modelo de crente burocrático, que bate o ponto nas programações da igreja, mas que é imprestável para qualquer obra que exija um envolvimento mais pessoal. Ele era voluntarista, "pau pra toda obra". Se oferecia para pintar paredes, limpar banheiros e visitar leprosos com o mesmo ânimo. Era incansável. Tinha 56 anos e um ardor juvenil.
  Enquanto pôde trabalhou para o Senhor. Enfermo, visitou doentes. Abatido, foi ao culto. Na véspera de sua morte, já com a voz enfraquecida, cantou um trecho de "Firme nas promessas" (hino 107 da Harpa Cristã). Horas antes de partir, foi perguntado sobre o qual era o seu desejo, além de ser curado. A resposta mostra o homem que era: "Pregar o evangelho pelo o mundo".
  Sinto muito sua falta e sei que sentirei muitas vezes. Quando precisar de um companheiro para alguma obra do Senhor olharei para os lados e não verei mais sua mão estendida. Meu consolo, então, será pensar no refrão da música cantada por Ed Mota: "Manuel foi pro céu".
George Gonsalves 

15 de abril de 2012

OLHOS QUE FALAM



  Alguém já disse: “os olhos são a janela da alma ”Eu concordo com essa verdade, por acreditar numa outra: a de que os olhos falam... E que linguagem!
    Os olhos falam...
  Que nos diga os enamorados, que por tantas vezes, cheios de paixão, preferem calar e contemplar a ter que falar, em alguns momentos, palavras absolutamente desnecessárias.
    Sim, os olhos falam...
   Nossas recordações de infância podem testificar perfeitamente isso, quando pelas inúmeras vezes em que fomos censurados por nossos queridos pais, com um só olhar, em que nenhuma palavra era sequer pronunciada.
    Ah! Os olhos falam...
    Basta que lembremos, os recém-casados, diante do altar, em meio a emoção da celebração de seu amor. Já contemplei cenas em que olhos, marejados de lágrimas, falavam com clareza a emoção do momento.
    E essa é, sem dúvida alguma, uma das mais belas formas de expressão.
    Os olhos falam... Ah, e como falam... Que nos diga, Pedro. O então temeroso Pedro.
  Por tantas vezes, ensinado, admoestado, censurado, repreendido, elogiado, mas, com absoluta certeza, nenhuma palavra humana falou tão poderosamente quanto um certo olhar.
   Era uma gélida noite. A fogueira parecia aquecer apenas corpos, enquanto a alma... A alma permanecia fria, porque dentre em pouco negaria Aquele que só o amou...
   No pátio, muitas pessoas, e uma estranha solidão.
   Depois de três perguntas, as mesmas respostas: “Não conheço este homem”, daí o canto do galo, acompanhado de um olhar trazendo a lembrança daquilo que já havia sido anunciado: “tu me negarás”.
   “E virando-se O Senhor, olhou para Pedro”... E em resposta aquele olhar a Bíblia registra:              “E, saindo Pedro para fora, chorou amargamente” (Lucas 22:61).
    Sim os olhos falam...
   Que nos diga Pedro, que pôde, apesar de tudo, experimentar nos olhos do Mestre, não um olhar de repreensão, ou de censura, mas um olhar de perdão.
    Diante desse grande evento, eu não poderia jamais deixar de crer na linguagem dos olhos... Sim, sem dúvida alguma, os olhos falam. 
Silvana Sales

12 de abril de 2012

PASSAGEM



Passamos a vida...passando
Já passei por rios caudalosos que, imponentes, traziam vida
e por outros que, moribundos, deixaram apenas um leito imaginário

Andei em tortuosas estradas, becos sem saída e apinhadas avenidas   
Pisei em terra batida, entre pedregulhos 
Mas também em campos verdejantes 

Passei por pessoas que jamais esquecerei,
cuja presença em silêncio foram um bálsamo para minha alma ferida  
e por outras que gostaria nunca ter conhecido 

Passei os olhos em livros que me deixaram saudades, 
cujas letras mágicas me levaram a lugares que dantes não conhecia. 
Quem dera pudesse retirar do baú de minha memória
todas aquelas preciosas páginas!

Passei pela chuva deixando-a me alcançar
e já tentei fugir de suas gotas
Abriguei-me dos raios do sol
e um dia apressei-me para que eles me tocassem

Também sei que devo passar do vil para o precioso,
do rancor para o perdão, 
da borda para o profundo,
do "meu" para o "nosso" 

Quero, enfim, continuar passando pela vida, antes que ela passe por mim.
Antes que ela se esvaia por entre os dedos. 
E ao final almejo, como almejo! 
passar de mim mesmo para Àquele que dá sentido 
a tudo e a todos.

George Gonsalves

PENSAMENTOS SOBRE PAZ



"A verdadeira paz não é a ausência de guerra, mas a presença de Deus."
GEREFORMEERD WEEKBLAD

"Muito mais do que simples ausência de guerra, a Paz define o estado do homem que vive em harmonia com Deus, consigo mesmo e com os outros."
AGOSTINHO

"A  paz é o sonho dos sábios e dos poetas; e a guerra, a sua corrupção e desgraça."
GOETHE

"Para preservar a paz, necessitamos armas de menor calibre e homens de maior calibre."
REINOLD NIEBUHR

"Quando um homem não encontra paz dentro de si mesmo, é inútil procurá-la em qualquer outro lugar."
HENRY W. BEECHER

"A verdadeira paz é uma benção do evangelho, e somente do evangelho."
THOMAS GUTHRIE

"Se a paz não for possível ser mantida com honra já não é mais paz."
JOHN RUSSELL

"Antes que possamos usufruir a paz de Deus, faz-se mister, primeiramente, conhecermos o Deus da paz!."
JOHN JEWELL







7 de abril de 2012

DEUS É VERMELHO

DEUS É VERMELHO - A história secreta de como o cristianismo sobreviveu e floreceu na China comunista 
AUTOR: LIAO YIWU
MUNDO CRISTÃO, 2011, 229p.

      Nos últimos anos ouvimos muitas notícias positivas sobre a China. Sua capital, Pequim, foi sede dos  jogos olímpicos em 2008 e o PIB anual já é o segundo maior do planeta, atrás apenas dos Estados Unidos. Esta obra mostra, no entanto, a face sombria deste grande país. Escrito com sensibilidade por Liao Yiwu (jornalista que não é cristão), que escreveu em 1989 o poema "Massacre", em condenação à repressão do governo aos protestos estudantis. O poema levou Yiwu a ficar quatro anos preso.
      Em Deus é vermelho, o autor vai a longíquos vilarejos para resgatar a história de cristãos que resistiram e ainda resistem à perseguição do governo chinês à livre propagação do evangelho. Com entrevistas emocionantes ele nos coloca no meio de interrogatórios feitos na Revolução Cultural, que teve início em 1966, e de torturas perversas contra homens e mulheres que teimavam em não negar a sua fé.
       No capítulo 9 (O mártir), Liao relata a entrevista como o filho do pastor Wang Zhiming, cuja estátua encontra-se na Abadia de Westiminster no Centro de Londres, honrado como um mártir cristão do século XX em todo o planeta. Após quatro anos de prisão e muitos interrogatórios e torturas, Wang disse para sua esposa: "Não pude reformar meu modo de pensar". Ele foi executado em dezembro de 1973.
    Há também a emocionante história do Dr. Sun, médico missionário, que percorreu diversas aldeias para levar saúde física e espiritual a centenas de chineses (capítulo 8) e dos missionários ingleses George e Fanny Clarke (capítulo 1).
      Trata-se de um excelente livro-reportagem, que revela os bastidores de um país gigante cuja bandeira é vermelha e cujo chão está manchado com o sangue de mártires cristãos. O título do livro indica que Deus voltou seus olhos para este país, tornando-o um dos lugares de maior efervescência espiritual no mundo.           
                                                                George Gonsalves
   

4 de abril de 2012

O VIRTUAL E O REAL


  
       Há alguns dias não pude me dedicar tanto ao blog. É que o mundo real tem me absorvido muito. Há pessoas ao meu redor que têm exigido minha atenção, palavra e tempo. 
Sempre pensei que a tecnologia é um meio, não fim. Deve ser utilizada para abençoar, aproximar e instruir. Caso contrário, se tornará um estorvo ao nosso crescimento espiritual. O fato de milhões estarem conectados na rede mundial de computadores não significa que estão ligados fraternalmente. Amigos virtuais podem ser apenas isso: virtuais. Outro dia, vi uma reportagem em que pessoas de uma mesma família, vivendo na mesma casa, se comunicam basicamente através da internet. A tecnologia aqui não está unindo, mas segregando. 
Muitos cristãos têm usado com competência a internet para divulgar mensagens edificantes. Mas, não podemos esquecer dos que estão ao nosso redor, ou seja, do próximo. O ambiente virtual deve abençoar pessoas reais, e não me afastar delas. Abraços e beijos virtuais, e-mails e postagens não substituem o abraço caloroso, a imposição de mãos, a oração em conjunto e a palavra falada frente a frente.
Jesus se fez presente de uma maneira inconfundível entre as pessoas: tocou leprosos, colocou crianças em seu colo, deixou que seus pés fossem beijados. Além disso, ele entrou nas casas, comeu com as pessoas e navegou em seus apertados barcos. Chorou e se alegrou, esteve presente com quem  amava.
O mundo virtual deve ser agregador, e não um veículo separador. Neste dia, tive que conversar pessoalmente com minha mãe, esposa e amigo;  brincar com meus filhos e visitar um irmão em Cristo, que está enfermo. Só agora pude escrever este texto, que talvez ajude alguém que ultimamente tem tocado mais teclas que mãos, tem olhado mais para telas de LCD que nos olhos de alguém e tem lido mais mensagens virtuais  que as Escrituras.  

George Gonsalves

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...