24 de outubro de 2012

DEUS NOS DÁ UMA SEGUNDA CHANCE

"O Regresso do Filho Pródigo", de Rembrandt
                                                                                                                 por George Gonsalves

        O que faríamos se tivéssemos uma segunda chance em nossa vida? Se tivéssemos a oportunidade de reatar uma amizade perdida, reencontrar um grande amor, pedir perdão a alguém que ofendemos ou testemunhar de Cristo para alguém que negligenciamos?
 No livro Persuasão, Jane Austen conta a bela história de Anne Elliot e Wentworth, um casal que havia se amado na juventude e que tem uma nova chance de se reencontrar sete anos depois de se separarem e tentar, enfim, ser felizes juntos. Assim também, muitas vezes Deus nos dá uma segunda chance para reencontrarmos o caminho perdido de casa.
 Na sua parábola mais conhecida, Jesus conta a história de um filho que pediu a herança do pai e foi para uma terra distante. Lá, desperdiçou impensadamente todos os seus bens e ficou na miséria. Mas, ele teve uma segunda chance. Cristo conta que ele caindo em si disse para si mesmo: “Levantar-me-ei, e irei ter com o meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores” (Lc. 15:18-19). Ao retornar ao lar, que havia abandonado, foi recebido com amor e perdão pelo pai.      
Pedro também teve sua segunda chance de ouro. Após ter veementemente negado que conhecia a Jesus, pôde se redimir. Procurado por Cristo após a ressurreição, ele foi colocado diante de uma nova oportunidade: poderia voltar a ser um apóstolo do Reino, um embaixador das boas-novas ou ficar nas sombras da amargura e auto-piedade, longe de sua vocação maior. Felizmente, Pedro agarrou apaixonadamente sua nova chance. Jesus lhe disse: “apascenta minhas ovelhas” (João 21:15-17). E foi isto que ele fez até o fim de seus dias, se tornando um dos apóstolos mais conhecidos do Mestre até os nossos dias.
Às vezes cometemos pecados cujas consequências são irremediáveis. Mesmo arrependidos não podemos mais consertá-los. Mas, muitas vezes não é assim. Em muitos momentos há uma segunda chance para acertarmos: podemos voltar de um caminho que descobrimos que está errado ou nos aproximar de quem erradamente nos afastamos. Resta saber se vamos aproveitá-la.
                         

Um comentário:

Elisangela Cabral disse...

muito obrigado.Estou vivendo isso e me ajudou bastante a pensar sobre o conteúdo associado a minha situação.Um abraço!

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...