27 de fevereiro de 2012

PIEDADE PERVERTIDA


PIEDADE PERVERTIDA 
AUTOR: RICARDO QUADROS GOUVÊA
FONTE EDITORIAL, 2012, 114p.



    O extenso subtítulo do livro esclarece a intenção do autor: "um manifesto anti-fundamentalista em nome de uma teologia de transformação". O teólogo e filósofo Ricardo Gouvêa ataca com perspicácia um dos graves problemas da igreja brasileira: o fundamentalismo, que não é alicerçado no poder do Espírito de amor, antes é frio, legalista e opressor. 
No início, Gouvêa dá um testemunho pessoal de sua jornada teológica. Com clareza e coragem fala de sua dolorosa peregrinação nos bastidores de uma igreja evangélica. Em dado momento, ele diz: "Aos poucos fui percebendo que as igrejas [...] tinham um compromisso apenas parcial com a Bíblia. Percebi que utilizavam a Bíblia segundo seus interesses pragmáticos. Percebi que muitas igrejas evangélicas não tinham um compromisso prioritário com o evangelho de Cristo, mas sim consigo mesmas, com sua sobrevivência, crescimento e perpetuação" (p. 16). Infelizmente, não posso discordar de suas palavras.! 
Ao longo de capítulos curtos, o autor mostra a decadência do protestantismo brasileiro apontando para problemas como: 1) a formação de uma casta de pastores-sacerdotes, que pretendem deter a exclusiva interpretação das Escrituras e que se preocupam mais com seu "sucesso ministerial" do que com as ovelhas que estão sob seu cuidado; 2) uma apatia social, ou seja, a igreja encontra-se de costas para a sociedade, sem uma ação efetiva para cuidar dos fracos e doentes do mundo; 3) presunção em relação ao conhecimento de Deus. A Bíblia é "domesticada", suas doutrinas são reduzidas a interpretações que a encaixem no credo da denominação. Em uma bela passagem, Gouvêa afirma: "Cada texto bíblico é abissal por natureza e seu sentido não pode ser esgotado" (p. 100).
Ricardo Gouvêa escreve com ardor. Devorei o livro em algumas horas. Suas ideias que pulsam em cada página vieram ao encontro do que estava sentindo em minha alma. Não é possível lê-lo e ficar impassível. Faço, contudo, uma observação. Na página 46 o autor afirma que é o fundamentalismo que impede as mulheres de exercerem o ministério pastoral. Na verdade, é a própria Bíblia que faz este veto. 
Piedade Pervertida ainda conta com um prefácio brilhantemente escrito por Elienai Cabral Junior.
George Gonsalves

Nenhum comentário:

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...