25 de fevereiro de 2012

O QUE VI NA 14ª CONSCIÊNCIA CRISTÃ

     
        Neste ano participei da "14ª Consciência Cristã", evento realizado pela VINAC - Visão Nacional para a Consciência Cristã, realizado em Campina Grande, na Paraíba. Muitas coisas chamaram minha atenção positivamente. Vou enumerar algumas delas:


1 - Ótimos preletores. Pude ouvir palestras edificantes de Augustus Nicodemus, Mauro Meister, Paulo Cézar (Grupo Logos), Russel Shedd e Norman Geisler. Todos falaram ao meu coração sobre algum aspecto importante da vida cristã. Não, eles não são infalíveis, mas possuem conhecimentos bíblicos valiosos em suas respectivas áreas de atuação;
Dr. Norman Geisler
2 - Inúmeras igrejas envolvidas. Antes de viajar ouvi que alguém havia criticado o evento por ser muito "misturado". Para mim, este fato trouxe mais beleza ao congresso. Sou contra o movimento ecumênico, tal como é posto tantas vezes. Para reconhecermos uma comunidade como genuinamente cristã, ela precisa estar alicerçada em pilares firmes como: fé em Jesus Cristo como único mediador entre Deus e os homens e crença na Bíblia como única regra de fé e prática. Mas, precisamos reconhecer a igreja do nosso Deus fora dos limites de nossa denominação. Não fazer isto é atentar contra o próprio Senhor da igreja. Portanto, pentecostais, presbiterianos, congregacionais, batistas e outros grupos dentro do povo de Deus podem se edificar mutuamente, mesmo que cada um permaneça dentro de suas convicções;
3 - Amplitude dos temas. Houve palestras sobre vários temas importantes para a igreja: louvor, missões, apostasia, escatologia, cultura, ação social, etc. O reino de Deus é amplo, há uma seara enorme para trabalharmos. A igreja cristã precisa crescer em todos os aspectos do Reino. Cito alguns títulos de mensagens:
-A postura da igreja diante da indústria cultural gospel.  
-Música como um instrumento missionário.
-Apostasia na Igreja no contexto mundial.
-O Anticristo e o espírito do anticristo.
-A Parousia de Cristo e seus antecedentes factuais.
-Uma resposta para o Desconstrucionismo Filosófico do “establishment” acadêmico.

Roberto, Elizabeth Banov e George
4 - Oportunidade para comunhão. O evento me proporcionou conhecer diversas pessoas envolvidas na obra de Deus e trocar ricas experiências com elas, como por exemplo: Elizabeth Banov, coordenadora do Ministério Mulheres do Caminho, do Portas Abertas, que trabalha com mulheres em países onde há perseguição aos cristãos, como Cuba e Iraque.  

George Gonsalves


Nenhum comentário:

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...