26 de novembro de 2011

CELEBRAÇÃO PELOS QUATRO SÉCULOS DA BÍBLIA KING JAMES


A Rainha da Inglaterra na celebração dos 4 séculos da Bíblia King James

 A Rainha da Inglaterra na celebração dos 4 séculos da Bíblia King James
Recorrido solemne con las copias más antiguas conservadas de la Biblia King James


Uma jóia da cultura e da fé, em Inglaterra e no mundo. Até o influente ateu Richard Dawkins participou em sua lembrança.

25 DE NOVEMBRO DE 2011, LONDRES

A Rainha Isabel da Inglaterra  foi a convidada de honra em um culto religioso realizado no Mosteiro de Westminster, e que se celebrou na quarta-feira passada, 16 de novembro, para comemorar os 400 anos da Bíblia King James.

O duque de Edimburgo e o Príncipe de Gales  também estiveram presentes neste ato comemorativo dos 400 anos depois de finalizada a tradução da Bíblia ordenada no ano de 1604 pelo rei Jaime I .

O ato supunha a culminação de um ano completo que serviu para comemorar o 400º aniversário da tradução, que se produziu durante mais de sete anos (entre 1604 e 1611) por toda uma equipe de bispos, eruditos e teólogos que deu este texto da Bíblia em inglês que foi lído nas igrejas anglicanas de todo o mundo, apenas modificado, nos quatro séculos seguintes.

Escolher o Mosteiro de Westminster para este evento é uma decisão idônea, já que foi nela onde os compiladores se reuniram (concretamente na Câmara de Jerusalém) para colocar à prova sua tradução mediante a leitura pública em voz alta antes de ser enviada para sua impressão.

 O ATO DE COMEMORAÇÃO

Foi realizada uma celebração solene com as cópias mais antigas conservadas da Bíblia King James. E logo, como antes de sua primeira impressão, a King James foi lída em voz alta na câmara de Jerusalém do Mosteiro de Westminster.

Rowan Williams, arcebispo de Canterbury, indicou que a versão King James é um "texto extraordinário" de "importância imensurável" que não se havia feito menos relevante pelas traduções posteriores.

Williams advertiu em seu sermão que,  por excelente que seja, toda tradução é imperfeita, e assim assumiram os próprios tradutores da King James. John Hall, deão do mosteiro, expressou aos dois mil assistentes com força que "reconhecemos com gratidão a imperdurável influência da obra em nossa língua, nossa cultura nacional, e na fé, a língua e a cultura alí onde o idioma inglês chegou em todo o mundo. Mas sobre tudo, pedimos a Deus que nós e todas as pessoas que a leiam possam seguir sendo elevados e transformados pela grande história que a Bíblia contém. "

  A BÍBLIA KING JAMES
 
A história da tradução King James da Bíblia começa com a ascensão de Tiago ao trono Inglês em 1603, quando o país estava "no centro de uma revolução teológica."

Durante uma conferência com os puritanos ingleses na Corte do Palácio de Hampton foi proposta uma nova Bíblia, ainda que a consideração de uma nova tradução nem sequer estava na agenda. A reunião foi convocada originalmente pelo rei James em resposta a uma série de petições para a reforma dentro da igreja pelos puritanos, que diferíam com os anglicanos.

O Rei James não estava satisfeito com qualquer das traduções existentes no idioma inglês. Em particular, odiava "com paixão" a Bíblia de Genebra, como Rhys-Davies narra na película. Nesse contexto, o puritano John Rainolds propôs uma nova tradução e o monarca a comissionou.
A tradução, na que trabalharam 54 investigadores, tinha como objetivo unificar os diversos grupos dentro do cristianismo que existiam em Inglaterra, e colocar fim a dois séculos de luta para produzir uma Bíblia em inglês. A tarefa tomou sete anos e a nova tradução foi publicada por primeira vez em 5 de maio de 1611.

Muitas de suas frases -os poderes factuais, os pés de barro, pegar tempestades, a escritura na parede, a menina dos seus olhos- entraram na linguagem e suas cadências tem influenciado em quase todos os escritores importantes em inglês desde então.

 UM ANO DE COMEMORAÇÕES
 Em honra ao 400º aniversário, muitas igrejas e organizações realizaram todo tipo de projetos. A princípios deste ano, o arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, enviou uma mensagem ao público, onde fez um chamado aos crentes a "celebrar a contribuição realizada por esse livro faz 400 anos".

A nível de  editoriais , uma versão atualizada da NVI foi publicada este ano. Thomas Nelson Publishers lançou um lugar web que oferece uma ampla gama de conteúdo, incluindo vídeos, versículos diários das Escrituras, podcasts e muito mais.

Por sua parte, o Príncipe Carlos de Gales ofereceu sua contribuição como patrono de Confiança da Bíblia King James e leu para o projeto de YouTube Bible o capítulo 14 do Evangelho de João. Curiosamente, o influente ateu Richard Dawkins também contribuiu para este projeto. "Não se pode apreciar a literatura Inglesa a menos que estejas imerso em alguma medida na Biblia King James", disse Dawkins. "Estamos em uma cultura cristã, viemos de uma cultura cristã e não conhcer a Bíblia King James, é de alguma maneira ser um bárbaro".

Muitos outros projetos foram realizados num esforço para chamar a atenção sobre o texto bíblico, entre os que  destaca o filme KJB: O livro que mudou o mundo . Está protagonizado pelo premiado ator  John Rhys-Davies  (O Senhor dos Anéis, Indiana Jones e A última cruzada), que leva aos espectadores através da história.

"A linguagem e a influência deste texto se deixaram sentir em todo o mundo durante os últimos 400 anos, e também afirma ser a Palavra viva de Deus", disse Rhys-Davies, que acrescenta: "Estes textos definem o caminho da salvação, e te levam até as portas da vida eterna".
Fonte: © Protestante Digital 2011

Nenhum comentário:

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...