16 de agosto de 2010

CRESCENDO


   Há um imperativo bíblico: todo homem precisa encontrar-se com Cristo em arrependimento, a fim de ser remido de seus pecados. Este encontro, com certeza, é o fim de uma caminhada: a do velho homem viciado pelo pecado em busca da Verdade. Todavia, podemos também asseverar que é o início de uma outra, cujo objetivo é a perfeição.
       A perfeição aqui referida é sinônimo de uma obediência completa e irrestrita à vontade de Deus. Comporta a impossibilidade de pecar. Devo dizer que ela só será alcançada quando estivermos livres de toda mancha de pecado e a nossa união com o Senhor for plena. Evidentemente, nunca seremos perfeitos como Deus. Nossa perfeição será humana. Mesmo nos altos céus, seremos finitos e Ele, infinito. Teremos conhecimento limitado das coisas, e Ele continuará sendo onisciente. Seremos santificados totalmente pelo Senhor, Ele é santíssimo desde a eternidade. Enfim, ainda seremos homens, e Ele Deus.
       A perfeição deve ser o objetivo de todo cristão sincero, por mais que saibamos que não a atingiremos na Terra. Enquanto estivermos aqui sempre poderemos progredir na vida espiritual. Sempre haverá algo a aprender, a praticar. “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor” (Os. 6:3).
     Quando adquirimos algum tempo na fé, podemos ser tentados à acomodação. Podemos nos sentir seguros quanto ao conhecimento que já temos, achando assim, que não temos mais nada a aprender, ou que tudo o que sabemos e cremos está de acordo com a Bíblia. Jerry Bridges, pastor norte-americano, nos diz algo interessante: “Uma coisa é ter a convicção de que aquilo que cremos é correto segundo entendemos as Escrituras; outra, muito diferente, é crer que nossas opiniões são sempre corretas”.
     John Wesley, o notável evangelista inglês, afirmou no prefácio dos seus sermões: “... alguns podem dizer que tenha eu próprio errado o caminho, embora tomando o encargo de o ensinar a outros... é muito possível que eu tenha errado. Asseguro, porém, que, onde quer que eu tenha errado, minha mente está aberta para ser convencida do contrário. Desejo sinceramente ser melhor esclarecido”.
    É possível, no entanto, nos agarrarmos às cores denominacionais, àquelas “santas tradições protestantes”, das quais falou Juan Carlos Ortiz no seu livro O Discípulo. Isto ocorre quando evitamos confrontar nossas crenças e práticas com a Palavra de Deus, alegando que já temos a verdade.
      Li uma vez algo sobre George Whitefield, talvez um dos grandes pregadores da história da igreja, que me chamou a atenção. Alguém observava que um dos grandes problemas na sua vida, e que trouxe conseqüências para o seu serviço, era o fato dele sempre achar que todos os seus atos eram guiados por Deus. Sendo assim, ele nunca estava disposto a ouvir alguém que lhe fosse contrário. Isto fez com que, por exemplo, ele mantivesse escravos em sua propriedade apesar das ferrenhas críticas de seu amigo Wesley.
      Ora, o fato do Senhor operar em nossas vidas em determinado serviço, não nos isenta de erro. Deus não reveste a nós e nossa denominação com a infalibilidade. Sempre podemos aprender, ou mesmo ser corrigido por outrem. E não importa o credo do outro. Podemos ser edificados por um calvinista ou arminiano, tradicional ou pentecostal. Às vezes, parece que achamos que tudo pode ser confrontado com a palavra de Deus, exceto nossas crenças e atos. Jesus não é membro de nenhuma denominação. Ele não é batista, pentecostal, metodista ou presbiteriano. Ele é Senhor de tudo e de todos e pode confrontar qualquer um com a Sua vontade.
     No século XIX, um movimento liderado por Alexander Campbell se espalhou pelos Estados Unidos. Ele quis resgatar a genuína doutrina cristã. Rejeitava os credos pré-estabelecidos, confrontando-os com as Sagradas Escrituras. Em algum tempo o seu movimento, conhecido como Os Discípulos de Cristo, chamou a atenção de milhares de crentes insatisfeitos com as tradições antibíblicas de suas denominações. Um grande número de crentes deixou as suas igrejas e se juntou na esperança de melhor servir a Deus.
     É bom sabermos que estar em uma comunidade que procura se enquadrar nos parâmetros bíblicos não isenta ninguém de viver uma vida piedosa. O cristão vive perante a face de Deus, e nenhuma denominação pode nos esconder d’Ele..
          Nos salmos, Davi diz: “Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus” (Salmo 143:10). Sabemos que ele já era um servo ungido de Deus, mas ele queria que toda a sua vida fosse governada pelo Altíssimo. Davi enxergou a possibilidade de aprender o Seu caminho. Mesmo que tenhamos muitos anos como cristão sempre poderemos pregar, ensinar, orar e amar melhor.
      “... crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”
                                                                                                                                                                                                                            II Pedro 3:18.

George Gonsalves

PRESIDENTE DO IRÃ NEGA HOLOCAUSTO

Presidente do Irã diz que Holocausto é uma mentira e eleva tom contra Israel.


   Elevando novamente o tom da sua retórica contra Israel, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse que o Holocausto é uma mentira, a poucas semanas da retomada do diálogo do seu país com as potências mundiais.
    “Trata-se de uma mentira baseada em uma alegação improvável e mítica”, afirmou ele. Ahmadinejad acrescentou que confrontar o regime sionista é um dever nacional e religioso.
    Ahmadinejad alertou os governos árabes a não se aproximarem de Israel. “Este regime não vai durar muito. Não amarrem seu destino a ele (…). Sua vida chegou ao fim”, disse ele no discurso transmitido ao vivo pela rádio estatal.
  Declarações de Ahmadinejad negando o Holocausto já provocaram indignação internacional anteriormente, levando a um maior isolamento do Irã, que já sofre sanções por causa do seu programa nuclear.
    O país retoma, no início de outubro, as negociações com seis potências globais sobre seu programa atômico.
   No entanto, na quinta-feira, Ahmadinejad reiterou que o país nunca abandonará suas atividades atômicas para agradar aos críticos ocidentais, que acusam Teerã de desenvolver armas nucleares.

Fonte: SRZD

QUEBRANTAMENTO


"Ó Deus, por que não me obrigas a andar sempre junto de ti? Livra-me de mim mesmo! Domina-me absolutamente!"
D.L. MOODY

"Se eu tivesse mil vidas, minha alma alegremente as entregaria todas para estar com Cristo. 
DAVID BRAINERD

"Oh, quão doce é ser gasto e consumido para Deus!"
DAVID BRAINERD

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...