25 de junho de 2010

A VIDA DE CADA DIA SENHOR, DAI-NOS HOJE


                                                                                                                           por George Gonsalves

          Passei recentemente em frente a uma fábrica de aguardente. Na entrada havia uma placa com o nome da marca da bebida com os dizeres: “desde 1846”. Não somente as empresas, mas também as pessoas gostam de exibir tempo de existência como uma espécie de atestado de sabedoria e idoneidade. Mas, precisamos aprender que o tempo passado, mesmo cheio de experiências positivas, não garante uma vida saudável no presente. Necessitamos de uma vida nova, a cada dia. 
No caso da empresa acima citada, temos um exemplo curioso. Sabemos que o alcoolismo é um dos grandes males de nossa sociedade. Milhares de vidas já foram ceifadas por doenças causadas pelas bebidas alcoólicas e acidentes de trânsito. Outras milhares de famílias foram destruídas pelo vício. Mas, a fábrica ostenta: “desde 1846”. Ora, se a empresa admite que fabrica bebida alcoólica desde o século XIX, então confessa que teve participação em muita tragédia em nosso meio. Mas, ela quer ser respeitada apenas pelo tempo de existência, não importando o que realizou neste tempo.
Tenho ouvido expressões no meio evangélico como estas: “tenho 20 anos de convertido” ou “sou pastor desde os 18 anos”. Às vezes, o que se quer é encerrar um diálogo apelando para uma pretensa sabedoria acumulada ao longo dos anos. Mas, precisamos ser sábios hoje, não importando quanto fomos sábios no passado. Devemos ser santos agora, e não reivindicar santidade de outros tempos. O salmista disse: “Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos” (Salmo 119:100).
O tempo pode, inclusive, agir de forma negativa em nossas vidas. Ele pode endurecer nosso coração. Pode nos arraigar em posições que não são corretas. Temos dificuldade em romper com hábitos, costumes e crenças com os quais estamos habituados. Quando somos questionados por algo que cremos, tendemos a rejeitar porque “sempre cremos de modo diferente”.
A lição do maná nos é muito proveitosa. Deus enviou maná do céu para os israelitas, mas eles não podiam acumular para o dia seguinte, pois estragava (Êxodo 16:19-20). O Senhor queria ensiná-los a confiar nele a cada dia. Precisavam de uma experiência diária com Deus.
Assim deve ser conosco. Precisamos orar: “A vida de cada dia Senhor, dai-nos hoje”. Tozer discerniu, com sabedoria: “É a mudança, não o tempo, que transforma estultos em sábios e pecadores em santos. Ou mais precisamente, É Cristo que faz a coisa toda, por meio das mudanças que Ele opera no coração” (Esse Cristão Incrível, Ed. Mundo Cristão, p.11).           
         

Nenhum comentário:

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...