10 de maio de 2010

RELATO DE ANABATISTAS MORTOS PELA INQUISIÇÃO


         
            "Nenhum ser humano foi capaz de tirar de seus corações o que haviam experimentado, tão zeloso era seu amor por Deus. O fogo de Deus ardia neles. Preferiram sofrer a morte mais amarga; preferiram morrer dez vezes a abandonar a verdade divina que haviam professado...
         Eles haviam bebido das águas que fluem do santuário de Deus, sim, da água da vida. Se deram conta de que Deus lhes ajudava a levar a cruz e a superar a amargura da morte. O fogo de Deus ardia neles. Haviam armado suas tendas, não nesta terra, mas na eternidade e tinham segurança e fundamento para sua fé. Sua fé florescia como um lírio, sua lealdade como uma rosa, sua piedade e sua sinceridade como a flor do jardim de Deus... Por isso sofreram todas as torturas e agonias sem temor. As coisas deste mundo eram vistas como sombra, tendo a segurança de coisas maiores. Estavam tão unidos a Deus que não sabiam nada, não buscavam nada, não amavam nada senão a Deus. Por esta razão tinham mais paciência em seus sofrimentos do que os seus inimigos em torturá-los.
       ...Os perseguidores pensavam que podiam extinguir o fogo de Deus. Mas os prisioneiros cantavam em suas prisões e se regozijavam de tal modo que seus inimigos, no exterior, estão muito mais temerosos que seus prisioneiros e não sabiam o que fazer com eles...
      Se falou para muitos deles de maneira sigilosa, frequentemente de dia e de noite. Monges, sacerdotes e doutores em teologia discutiam astuta e sabiamente com eles, com muitas palavras doces e suaves, usando falsos testemunhos, ameaças, repressão e engano, inclusive com mentiras e cruéis calúnias contra a irmandade, mas nenhuma destas coisas os comovia ou os faziam titubear.
      Do derramamento daquele sangue inocente se levantavam cristãos em todas as partes, todos irmãos, porque toda esta perseguição não se deu sem produzir fruto..."

(Escrito em 1542, retirado da antiga crônica dos huteritas, que se encontra no final de relatório sobre 2.173 irmãos que deram suas vidas por sua fé, citado em BENDER, Harold S. La visión anabautista: Clara-Semilla).

George Gonsalves

Nenhum comentário:

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...