1 de fevereiro de 2010

LIVROS BIOGRÁFICOS: SPURGEON, BUNYAN, WHITEFIELD

O SORRISO ESCONDIDO DE DEUS
Autor: John Piper. Shedd Publicações, 2002


     Maravilhoso. Emocionei-me ao terminar a leitura deste livro do pastor batista John Piper. Aqui, ele traça perfis biográficos de três homens importantes da igreja cristã. Um literato, John Bunyan, autor da alegoria cristã mais lida no mundo: O Peregrino. Um poeta, William Cowper, autor de diversos hinos e um missionário aos índios, David Brainerd.
     Todos tiveram em comum grandes provações ao longo de suas vidas: O primeiro esteve preso por vários anos, o segundo atormentado por crises depressivas e o último morto com apenas 29 anos de idade. Mas mesmo assim produziram frutos importantes para os cristãos de seu tempo e os que vieram depois.
     O título do livro faz referência a um trecho de um famoso poema de Cowper: “Não julgue o Senhor com débil entendimento/Mas confie nele para sua graça/Por trás de uma providência carrancuda,/Ele oculta uma face sorridente. Por sinal, o capítulo relativo a Cowper é o mais denso e dramático. Sua vida e obra deixa margem a muitas interpretações. Piper faz uma interpretação bastante benevolente a seu respeito, mas possível.
     No final, há reflexões profundas sobre o quanto devemos aproveitar nosso precioso tempo para glorificar o nome do Senhor. Indispensável a todos os querem levar uma vida cristã comprometida.


_________________________________


GEORGE WHITEFIELD – EVANGELISTA DO AVIVAMENTO DO SÉCULO XVIII.
Autor: Arnold A. Dallimore. PES, 2005

     Este livro é um resumo de uma extensa biografia de Whitefield publicada em inglês. Mesmo reduzida, esta obra me trouxe fortes impressões. O biografado foi um excepcional pregador do evangelho, um dos fundadores do metodismo e um dos grandes líderes do avivamento do século XVIII. Pregava de 40 a 60 horas por semana, dirigia duas escolas e operava uma organização para ajuda aos pobres. Todo este trabalho em prol do reino de Deus é profundamente inspirador para o nosso tempo, marcado pela acomodação.
     Alguns assuntos polêmicos foram ignorados no livro, como o fato de Whitefield possuir escravos, apesar das denúncias veementes de seu amigo John Wesley. Apesar disto, a obra merece ser lida por todos os cristãos.


_________________________________


O MELHOR DE C.H. SPURGEON
Ed. Luz e Vida, 1997



     Este livro é uma miscelânea de textos, contendo excelente material do inglês Charles Haddon Spurgeon, conhecido como “Príncipe dos Pregadores”. Há uma resumida biografia, pequenos textos, alguns sermões e uma seleção de frases afiadas do pregador, geralmente carregadas de fina ironia, como neste exemplo: “O pecado pode tomar um banho de perfume, mas não ficará com aroma melhor por isso”.
     O livro é bem elaborado e é possível ter uma razoável noção do talento de um dos pregadores mais populares do século XIX. Um mestre que, mesmo sem ser ordenado, instruiu diversos jovens que seriam pastores. Talvez ainda hoje ele seja um dos que mais inspiram homens no ministério pastoral.
     Quem tiver sorte de encontrar este livro, terá uma bela iniciação na vida e obra de Spurgeon.


_________________________________


  O MUNDO EM UMA FRASE 
UMA BREVE HISTÓRIA DO AFORISMO
Autor: James Geary. Objetiva, 2007




     Livro interessantíssimo. O inglês James Geary reuniu em só livro recortes biográficos e algumas frases brilhantes dos maiores aforistas da história. Ele procura no início do livro definir o aforismo, que são aquelas frases curtas e penetrantes, cheias de sabedoria, que nos levam a refletir sobre a nossa própria existência.
     A exemplo do que escreveu no seu site o pastor e teólogo Israel Belo de Azevedo, também  não gostei da maneira como o Senhor Jesus é mencionado. Ele é tratado como apenas um mestre em meio aos outros, e não muito original.
    O forte da obra é sua abrangência. Pode-se ler sobre Buda, Confúncio, Jesus, Maomé, Schopenhauer, Henry Thoreau e Benjamim Franklin, por exemplo, em um só livro.


_________________________________


SAMUEL MORRIS
Autor: Lindley Baldwin. Editora Betânia


         O livro narra a fantástica história do menino que saiu da África para abalar professores e seminaristas em Nova York, com sua fé e singela e sincera. Sua morte prematura não encerrou sua influência sobre boa parte de cristãos que continuam a ler sobre sua vida.

         Samuel Morris foi exemplo de simplicidade e fervor espiritual. Todo jovem cristão deve ler sua biografia. Com certeza, ele será tocado de forma positiva.

   
George Gonsalves
_________________________________

2 comentários:

Eloizio disse...

Olá! Nunca lí em lugar algum que George Whitefield tivesse escravos. Gostaria de receber indicação de alguma fonte. Obrigado.

George Gonsalves disse...

Olá, Eloizio. Aqui estão as fontes sobre Whitefield e os escravos. Faço uma retificação, pois no próprio livro comentado o assunto é mencionado:
1 - "Whitefield escreveu: 'Deus pôs no coração dos meus amigos de Carolina do Sul a decisão de contribuir para a aquisição de uma fazenda e de escravos nesta província'...E assim foi que Whitefield se tornou proprietário de escravos!" (Dallimore. Arnold A. George Whitefield. PES, 2005. p. 186);
2 - "...Whitefield, ao morrer quatro anos antes, deixara numerosos escravos em suas fazendas na Geórgia, e os doara em seu testamento à Lady Huntingdon". (Lelièvre. Mateo. João Wesley - sua vida e obra. Ed. Vida. 1997. p. 283);
3 - "Após criticar os curadores por sua ignorância a respeito dos desígnios de Deus, finalmente Whitefield tomou consciência de sua ambição e adquiriu uma plantation e uns setenta e cinco escravos" (Davis. David Brion. O problema da escravidão na cultura ocidental. Civilização Brasileira. 2001. p. 173).

Você pode também gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...